segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ar em movimento...este ser invisível...

Bem,bem,bem.....entra ano, sai ano e já são 21 dedicados ao ensinamento do voo livre em Parapente, e as histórias e estórias vão se repetindo...as perguntas vem, mesmo que tudo já tenha sido dito exaustivamente na teoria e várias vezes apreciada nas práticas, mas o assunto é prá lá de complicado para alguns e fica sempre aquele sorriso de desconfiança. O aluno que deveria saber, faz cara de quem não gostou...o passageiro que quer fazer um duplo, desconfia...mas afinal, o dia está bonito, não chove, o vento parece bom, e porque estou aqui na rampa olhando os urubús passeando e EU não posso voar? Pois me disseram simplesmente que está "pancadaria". Poxa, mas eu vim até aqui PARA VOAR kct.... que acontece?  Basta perguntar para algum piloto mais afoito e que resolveu enfrentar o ar invisível, quando retornar ao chão, com certeza vai dizer: Que M.... que droga de voo...não conseguia para de sacudir em todas direções... afinal, que está havendo com esta meteorologia/aerologia? É gente, nós pilotos que estamos enfrentando condições atmosféricas que não vemos, tempos que saber avaliar MUITO bem tudo o que nos cerca naquela micro região em que resolvemos voar. O vento, que é o ar em movimento, tem sua direção e velocidades modificadas por diversos fatores, entre eles as diferenças de pressões , os relevos e também o gradiente de vento, que são as mudanças de velocidades conforme subimos mais ou descemos. Tudo isso se transforma em ROTORES ou TURBULÊNCIAS, e como nós voamos em asas de tecidos  e linhas, estas turbulências podem fazer nossa asas sofrerem deformações grandiosas nesta estrutura, as vezes muito difíceis de resolver, PRINCIPALMENTE por pilotos novatos. Portanto, antes de criarem situações ruins para vocês próprios ou para pessoas envolvidas neste contexto, seria de grande valia se cada um de nós tentasse entender que quem decide quem vai VOAR naquele determinado dia e sitio de voo, não sou EU, mas sim, todo um conjunto  de situações que fazem parte daquele momento, que abrange desde a minha situação psicológica, e culmina com o que expomos acima...decolar é facultativo, pousar é obrigatório. Abraço. Lupa

Novos Pilotos

Bem, ,bem, bem... depois de amargar um bom tempo com as condições bem difíceis, tivemos duas aulas muito boas e por consequência  ontem, domingo dia 17/12 foi a vez do Clemerson e do Felipe de Bento, realizarem seus voos solos. O dia estava sob encomenda. Foi tudo muito bem, os dois realizaram uma ótima decolagem acompanhados pela Instrutora Serli e seus pousos, igualmente foram muito bem executados. Em nome da Sky Company, desejamos que este seja o primeiro de muitos bons e seguros voos. Ontem, depois de engatinharem nos morrinhos, começaram a dar seus primeiros passos. O aprendizado ainda é bastante trabalhoso e cada vez a responsabilidade de ir acumulando experiencias, será determinante em suas vidas como futuros voadores responsáveis. Bem vindo ao Arlindo que também começou no sábado sua trajetória de futuro voador. E que venha um verão cheio de belos voos e sorrisos nos rostos de cada um...Aproveitamos para desejar a todos, aqueles tradicionais votos de Feliz Natal e que 2013 seja repleto de bons voos e realizações....Lupa/Serli.